O poder do PERDÃO – Os 6 Benefícios + 3 exercícios práticos

Tempo de leitura: 25 minutos

O poder do perdão: INTRODUÇÃO

Hoje é dia de mais uma vez olharmos para dentro e mexer com muito amor e carinho em alguns pontos que muitas vezes pode até ser dolorido (trabalhar o perdão), mas que, se entendemos o poder do perdão e os benefícios dessa prática, o desconforto ficará muito pequeno comparado ao bem-estar que você irá sentir.

Então, como está seu coração? Está com rancor, mágoa, ressentimento, culpa, arrependimento, vergonha?

O perdão é algo que liberta por dentro aquele que está perdoando. É independente do externo, independe se a outra pessoa que te machucou continua com raiva ou não.

As vezes pode ser muito difícil perdoar por causa do ego. A pessoa quer vingança, porque ela mesma irá fazer justiça, e isso por si só, implica que a pessoa pensa que não existe justiça. Se ela não se vingar não haverá justiça. Defender-se é algo que o ego irá tentar a todo custo.

Mas, o que habita a consciência é o que volta para a pessoa, é o que ela atrai. Sem mudar o conteúdo da consciência não existe solução para os problemas que vivemos. Somente fazendo o bem, vibrando amor, que a pessoa poderá evoluir.

IMPORTANTE:

Muitas pessoas podem achar que não tem nada que deva perdoar, cuidado. Quando o tempo passa, esquecemos e achamos que não há nada a ser perdoado. Na verdade só ouve uma migração da energia densa do consciente para o inconsciente. Mas ela continua com você, e se você não tratar devidamente essa “questão” do passado, sua realidade hoje continuará sendo influenciada negativamente. Então não deixe de ler esse artigo para entender melhor como isso funciona. 

1 – OS 6 BENEFÍCIOS IMEDIATOS COM A PRÁTICA DO PERDÃO.

o poder do perdão

1.1 – Máximo Potencial:

O perdão dissolve as amarras do passado, deixando você mais leve para viver o seu máximo potencial.

Imagine que os sentimentos negativos como magoa, rancor, raiva, desejo de vingança e muitos outros são como blocos de concreto impregnados no seu corpo. Eles tornam sua vida mais difícil de viver, e andar para frente as vezes pode parecer impossível.

Vamos entender melhor como isso funciona.

Imagine que você está sentindo raiva de alguém, esse sentimento é como se estivesse vivo dentro de você, e na verdade está mesmo. Isso é energia, que está vibrando em determinada frequência, emanando de você para o universo sem parar.

Você está enviando para o universo essa “informação” raiva, e você atrai aquilo que emana. Quem está sendo prejudicado nessa situação? É aquele que não perdoa.

Mesmo que inconscientemente, a pessoa está enviando essas frequências de vibração baixa para o universo sem parar. É possível até identificar um padrão, sempre surge o mesmo tipo de situação. Acontece um assalto, dois, três, quatro … briga com o marido ou qualquer outra pessoa uma vez, duas, três, quatro … e parece que não ter fim, não é acaso, é um padrão energético. Se a pessoa emana uma frequência de raiva, mais cedo ou mais tarde ela irá retornar.

Esse padrão que retorna, indica qual é o sentimento que precisa ser trabalhado. E muitas vezes o perdão resolve isso.

Só isso seria suficiente para darmos uma atenção especial para a prática do perdão não é mesmo? Mas vamos seguir em frente.

1.2 – Você no controle:

Uma vez que você liberou a energia negativa que estava te causando sofrimento, você poderá escolher quais experiencias positivas deseja viver.

O perdão dissolve algumas amarras, permitindo você experimentar maior grau de liberdade.

A simples postura de perdoar conscientemente, já mostra que você esta no controle. Caso seja decidido não perdoar, quem escolhe esse caminho é o ego, não você. Pois é, você não é seu ego. O ego é só uma roupa que o seu EU verdadeiro veste a fim de ter uma identidade, o seu  EU verdadeiro só vibra amor.

1.3 – Você será mais querida(o):

Olha só o poder do perdão, você Irá melhorar sua relação pessoal profissional e social. Quando você perdoa verdadeiramente acontece uma limpeza interna em sua essência. O que acontece quando você se livra de sentimentos como mágoa, rancor, vergonha etc? Você se torna uma pessoa mais agradável.

Você será mais carinhosa com as pessoas, mais compreensiva, mais bondosa, mais generosa de forma natural, sem esforço.

Você será uma pessoa mais alegre e de bem com a vida, e terá uma atitude mais positiva com as pessoas que estão a sua volta.

Dessa forma as pessoas irão gostar mais de você e desejar ter você por perto.

Então, aprender a perdoar irá melhorar todos os seus relacionamentos, dessa forma você terá maior sucesso profissional. O convívio com a família será muito mais harmonioso, e as amizades serão muito mais saborosas.

1.4 – Favorece elevação espiritual:

Se você é uma pessoa que acredita em Deus, independente de sua religião, o poder do perdão irá lhe depurar fortalecendo a bondade em seu coração.

Essa prática irá aprofundar sua experiencia religiosa ou espiritual. Irá diminuir a vontade de fazer o que você sabe que não deve, mas que por algum motivo continua fazendo. Em contrapartida irá começar a fazer mais coisas que você sabe que deve mas ainda não começou.

1.5 – Melhora a saúde:

Conforme você aprender a perdoar, muitos problemas irão sumir aos poucos, e provavelmente terá inclusive uma melhora em sua saúde.

Se você diz por qualquer motivo que seja: jamais irei perdoar tal coisa. Provavelmente isso está causando danos na sua saúde física.

Quando você cultiva muita negatividade em seu campo mental e emocional, depois de um tempo começa afetar o corpo físico.

1.6 – Novas oportunidades:

Sua vida será premiada com “coincidências” felizes. Você irá encontrar a pessoa certa no momento certo. Surgirão boas ideias para resolver questões que estavam travadas. Respostas chegarão até você de uma forma ou de outra.

Uma conversa despretensiosa, uma leitura qualquer, um amigo ou qualquer outra situação inusitada, irá lhe dar o que você está procurando.

Isso acontece porque ao praticar o perdão você estará mais aberto a bondade da vida. Em outras palavras, o universo é uma energia de inteligência amorosa, e para se beneficiar das coisas boas da vida, basta se limpar dos sentimentos ruins.

Legal né, esse é o poder do perdão, vimos que tem muitas vantagens em praticar o perdão, mas nem sempre é fácil identificar. As vezes pode acontecer de não sabermos por onde começar, as vezes podemos achar que não temos nada a perdoar.

Isso é porque nós ocidentais nunca fomos induzidos a olhar para dentro e entender nossos sentimentos. A experiencia me diz que sempre temos algo dentro de nós que necessite de perdão.

Vamos olhar mais atentamente para nossos sentimentos, olhar para o passado e com sinceridade. Avalie com sinceridade como reage quando lembra de uma situação mal resolvida. Da um frio na barriga?

Para ajudar vocês a darem o pontapé inicial vamos falar um pouco sobre alguns tópicos esclarecedores.

2 – CULPA, VERGONHA E REMORSO

o poder do perdão

A vergonha pode vir junto com a culpa, mas um se distingue do outro. A culpa é a percepção que fizemos algo de errado; a vergonha é a percepção de que somos ruins em algo.

Precisamos distinguir bem um sentimento do outro a fim de que a pratica do auto perdão seja mais fácil. O que precisa para resolver a culpa é um pouco diferente do que para resolver a vergonha. E como determinado evento pode desencadear em nós esses dois sentimentos, temos que saber distinguir.

2.1 CULPA:

É sempre algo que surge porque fizemos algo que é contra nosso senso do que é correto.

A culpa faz com que tenhamos o desejo de nos punir.

Nos livramos da culpa deixando de lado a auto-condenação e qualquer outro desejo de nos punir.

Em algumas situações podemos reparar o que fizemos de errado, e pedir desculpas. Mais importante que pedir desculpas é ter a real intenção de não repetir esse mesmo erro.

A culpa só é útil quando nos leva a mudar nosso comportamento e fazer as pazes.

Sentir culpa repetidas vezes a respeito da mesma coisa, cria um círculo vicioso e destrutivo, em que você passa a não ter mais controle da sua própria vontade. Consequentemente, há uma perda da convicção da capacidade de fazer valer sua vontade. Isso tem consequências em diversas áreas da sua vida. 

2.2 – VERGONHA:

É quando sentimos que tem algo de errado com a gente. É quando não nos aceitamos do jeito que somos.

Para livrar-se da vergonha é preciso trabalhar aceitação e amor próprio, é uma reconciliação de você com você mesmo.

É você não dar ouvidos aquela voz interna que te denigre, e te põe pra baixo, que fala que você é feio, fraco, ou ruim em qualquer coisa. Com a prática do auto-perdão essa voz fica cada vez mais fraca.

Muito importante também, são as pessoas com quem nos relacionamos. Normalmente não sentimos vergonha de nós mesmos quando estamos ao lado de verdadeiros amigos. Ao passo que aquelas companhias que estão sempre cochichando e nos julgando, poderão despertar em nós vergonha.

De qualquer forma, ser carinhoso, respeitoso e um bom amigo de você com você mesmo é sempre bom para acabar com a vergonha.

A vergonha pode fazer com que você tente atacar, ou jogar a culpa em outra pessoa fazendo com que o outro sinta vergonha. Mas essa atitude por sua vez pode gerar culpa em você mesmo.

A vergonha só é útil quando nos leva a questionar nossos padrões e procurar nos elevar acima dos próprios limites.

2.3 – REMORSO

Ficar alimentando a culpa remoendo-se pelas suas falhas não irá lhe ajudar a resolver a situação. Uma maneira simples, mas nem sempre fácil é um sincero pedido de desculpas. É preciso de muita coragem para nos expor e pedirmos desculpas de coração para quem magoamos. Isso inclusive irá diminuir muito as chances de cometermos o mesmo erro, pois cria-se um vínculo maior com a pessoa que estamos nos reconciliando.

Mas isso é muito difícil porque temos que ser humildes e reconhecer que erramos, e isso para o ego é a última coisa que ele pensa em fazer. O ego irá oferecer uma resistência enorme em assumir que errou e se humilhar pedindo desculpas.

Porém, essa é uma maneira muito eficiente para que você se liberte dessa amarra do passado e possa seguir o fluxo de vida no presente de forma muito mais plena.

O que você não pode fazer é decidir se punir, isso não irá ajudar a resolver a situação. Você não pode corrigir um erro fazendo mal a si mesmo. O erro só será corrigido fazendo o bem.

3 – FALSO PERDÃO

o poder do perdão

O Falso perdão ocorre quando ignoramos nosso sentimento, é quando passamos por cima e colocamos a raiva ou qualquer outro sentimento negativo pra baixo do tapete.

As vezes nos reconciliamos com a pessoa, porque entendemos que isso é o melhor a se fazer. Mas por dentro ainda estamos magoados, e no fundo sabemos disso, no entanto, ignoramos.

Quando encontramos essa pessoa sentimos um frio na barriga, o corpo reconhece que a situação continua amarrada, o nó não desatou.

Dessa forma você jamais irá experimentar a verdadeira liberdade que o perdão traz.

Você precisa passar por um processo de perdão que falarei melhor a seguir. E importante não deixar passar muito tempo, pois a tendência é que quanto mais tempo passa mais chance de “esquecermos”. Na verdade, a situação só saiu do seu consciente e foi para o inconsciente.

Mas continua dentro de você. Você continua emanando isso para o universo, lembra?

O verdadeiro perdão muda sua perspectiva e realmente te liberta para que possa criar uma vida mais feliz. Você se sente leve, e não possui nenhuma reação negativa ao lembrar ou ver a pessoa que você perdoou.

4 – RECONCILIAÇÃO

Primeira coisa pessoal, reconciliação não tem nada a ver com perdão. Você pode perdoar sem reconciliar e reconciliar sem perdoar.

Alguns autores definem perdão como “desistir do desejo de punir”. Reconciliação é quando você decide continuar tendo contato com a pessoa.

O perdão é incondicional, não depende de nada além da sua vontade de perdoar. Já a reconciliação pode haver condições e nem sempre é possível.

Então, o mais importante disso tudo é que você não é obrigado a se reconciliar com a pessoa se não desejar. Perdoar a pessoa não significa que você terá que conviver e ter qualquer tipo de relação.

As vezes não perdoamos porque temos a sensação de que teremos que conviver com a pessoa novamente, e isso não é verdade.

Até porque, aquela sua amiga ou amigo pode ser um vampiro emocional, e quando você perceber isso pode não querer mais conviver com a pessoa.

Você é a dona da sua vida.

DICA – Reconciliação difícil:

o poder do perdão

Você também pode desejar se reconciliar, mas isso é muito difícil, pois você se machucou muito e não quer que isso aconteça novamente. Então, a dica é impor condições para a reconciliação.

É colocar limites claros para restabelecer a relação:

  • Especificar os comportamentos que são inaceitáveis e que caso ocorra, irá interromper o processo de reconciliação.
  • Limitar o tipo de contato, até que sejam satisfeitas algumas condições.
  • Você deve se sentir seguro, então crie acordos claros sobre problemas específicos.
De qualquer forma a reconciliação difícil depende do respeito mútuo, e isso inclui respeito seu com você mesmo e com a outra pessoa, a outra pessoa deve fazer o mesmo.

E respeito com você mesmo quer dizer que deve ser sincero com seus próprios sentimentos. Porque se não prestar atenção nos seus sentimentos, você poderá estabelecer condições para reconciliação, mas continua contaminado com sentimentos ruins internamente, assim estará indo direto para o falso perdão, lembra?

Caso seja muito difícil para você se reconciliar e perdoar, se permita viver o seu momento. Você poderá precisar de algum tempo para recobrar sua fé na vida e nos seres humanos, antes que esteja pronto para perdoar. Só não adie a decisão de perdoar indefinidamente, o quanto antes melhor, tendo em vista o que já falamos nesse artigo.

As vezes precisamos solicitar “aquela” força superior. Quando acreditamos que o “universo” da conta de resolver essas questões, equilibrando todas as energias. Solicitamos por justiça sem jamais usar nossas mãos para isso, pois confiamos que a justiça será feita, mais cedo ou mais tarde. A final essa energia controladora do universo sabe exatamente o que está fazendo.

Então depois de um tempo, após confiar que a justiça será feita e que você não precisa se intrometer nisso, passa a ficar mais fácil perdoar e ter compaixão. Porque você sabe que a pessoa irá colher o que emanou e irá sentir o que você sentiu.

5) TRÊS TÉCNICAS PODEROSAS PARA LIBERAR O PODER DO PERDÃO

Vamos então iniciar a parte prática e falar de técnicas que podemos utilizar para nos melhorarmos como pessoa e ter melhor qualidade de vida.

5.1 – MUDE SUA ATITUDE NO PASSADO

Parece estranho, mas essa é uma poderosa ferramenta de cura. Toda pessoa poderá usar, vou te falar como funciona.

Aconteceu um fato “ruim” ou traumático no passado, qual foi seu sentimento? O que você pensou naquela hora? Como você agiu naquele momento? O modo como você pensou sentiu e agiu no passado continua reverberando por todo o tempo até os dias presentes. Não importa se isso aconteceu quando você tinha cinco, dez, quinze anos de idade ou ontem. É a mesma coisa.

Precisamos nos abstrair um pouco da visão que temos de tempo. Parece ficção mas não é, é quântica.

O passado continua vivo tanto quanto o presente, pulsando e influenciando os dias atuais. Se não for corrigido irá influenciar o futuro, até que essa equação seja equilibrada.

Então o que você deve fazer?

Feche os olhos, eleve sua consciência acima de suas convicções limitantes e retorne ao passado. Volta no momento em que você sentiu, agiu e tomou uma decisão com relação aquele fato.

Para exemplificar vamos supor que a pessoa era adolescente e por alguma razão foi traída pelo seu melhor amigo, e por causa dessa traição a pessoa ficou tão magoada que resolveu não confiar mais nas pessoas. Ou resolveu cultivar a raiva e de alguma forma mudou a forma como a pessoa vê o mundo.

Aquela decisão tomada a 20 anos atrás repercute para o resto da vida, e a pessoa começa a viver um novo padrão. Aquela situação continua viva dentro da pessoa atraindo para sua vida exatamente o mesmo padrão. Isso porque a decisão que ela tomou na adolescência ou até mesmo na infância de “eu serei assim” ou “eu não farei mais dessa forma” ou qualquer atitude negativa que a pessoa tomou, a conclusão que ela chegou, está lá gravada, viva, repercutindo, sem parar.

Como cura um trauma desses?

É só voltar naquele momento através da sua consciência e refazer a sua atitude com relação aquele fato. Você não tem ação sobre o fato em si. O fato não muda, ele está sacramentado. Se a pessoa te traiu, então, quando você voltar mentalmente ao passado a pessoa continuará te traindo.

O que você pode fazer é mudar a forma como você pensou, como você sentiu e como você agiu com relação ao fato.

Como eu disse anteriormente, as vezes você decidiu naquele momento odiar determinada pessoa para sempre, ou não mais confiar nas pessoas, e até já esqueceu disso. No entanto, esse ódio declarado está repercutindo e moldando sua vida nos tempos atuais.

Então volte lá, nesse passado que continua vivo e tenha uma atitude de compreensão, uma atitude benevolente de compaixão e de perdão. Deixe o ego de lado e se a pessoa te agrediu, traiu, roubou, não importa, o problema é dela. A partir do momento que você se envolve emocionalmente, você está pegando esse problema que é dela pra você. Voluntariamente você está se contaminando com um problema, um sentimento de baixa vibração que é da pessoa e não seu.

Quando você troca sua atitude lá no passado, troca o que sentiu. Toda sua vida começa a ser refeita em função da mudança que você teve. Na pratica aquele passado em que você reagiu negativamente não existe mais. Você mudou o passado. Agora existe um novo passado em andamento, e em determinado momento toda essa energia que está sendo recalculada chega até você, digamos no presente.

Na hora que você fizer isso, provavelmente o seu ego vai dizer que nada aconteceu e que isso é imaginação.

Não perca a confiança nesse processo, o ego irá atrapalhar.

Em 1 ou 2 meses você irá perceber que as coisas mudaram, algo esta mais leve, a vida ficou um pouco melhor. Com certeza em 6 meses você poderá perceber uma melhora gigantesca em sua vida em relação aquele fato. 

Isso é bem simples de fazer, é só não deixar o ego te dizer o que é possível ou não. Acredite, nada é estático, tudo é energia. O passado presente e futuro, é uma onda flutuando continuamente, vai e volta. Einstein foi o primeiro a falar isso.

Então após ter feito esse exercício. Podemos realizar os 4 passos para o perdão, que irá potencializar MUITO essa primeira técnica sentindo os efeitos do poder do perdão já na primeira semana.

5.2 – OS QUATRO PASSOS PARA O PERDÃO

É extremamente simples, mas para iniciantes recomendo anotar os 4 passos.

Passo 1:

Declare o nome da pessoa que você precisa perdoar e a razão.

E quero perdoar fulano por ter feito/ falado tal coisa.

A chave para o primeiro passo é simplesmente reconhecer que pretende perdoar alguém e reconhecer o motivo que lhe causa incomodo. Isso ajuda você a sair de qualquer tipo de negação sobre o que aconteceu e ir para um estado de espírito de aceitação e a partir daí, começar a fazer algo a respeito.

Exemplo: Eu estou disposto a perdoar o João por mentir para mim.

Passo 2:

Reconheça como você atualmente se sente em relação a situação. É melhor que sejam os sentimentos mais honestos, não as coisas educadas ou legais que você pensa que deveria sentir.

Você precisa trabalhar com o que você realmente sente. Então, você expressa sua disposição de ao menos estar aberto à possibilidade de deixar esses sentimentos irem embora.

Esses sentimentos podem ser “raiva“, “magoa“, “tristeza”, dor. Ou então pode ser “vontade de agredir a pessoa“, “vontade de sumir do mapa”. Fique a vontade para pôr o que está sentindo realmente.

Eu agora escolho libertar meus sentimentos de o que você está sentindo de ruim.

Se os seus sentimentos são vagos, descreva-os da melhor maneira possível neste momento: “Eu liberto esse tipo de sentimento de desespero”. “Eu liberto esse tipo de sentimento obscuro, uma espécie de infelicidade fria e pegajosa”. Mesmo sentimentos vagos podem levar a descobertas maravilhosas, por isso não deixe que a imprecisão dos seus sentimentos interrompa você.

Exemplo: Eu agora escolho libertar meus sentimentos de me sentir enganado, raiva e frustração.

Passo 3:

Declare os benefícios que você terá por perdoar. Geralmente será o oposto do que você está sentindo atualmente. A tristeza se tornará felicidade, raiva se tornará paz, o peso se tornará uma sensação de leveza e assim por diante. Se você não tem certeza sobre os benefícios, basta escolher alguns bons sentimentos que você gostaria de ter a partir de agora (felicidade, mais vontade, mais confiança, etc).

Eu reconheço que perdoar esta situação me beneficiará e assim me sentirei coisas/ sentimentos positivos que o perdão irá lhe trazer.

No Terceiro Passo você foca nos benefícios que você receberá ao se libertar de sentimentos infelizes relacionados ao acontecimento. Imagine como você vai se sentir e se comportar quando estiver livre destes velhos sentimentos dolorosos.

Exemplo: 3 Eu reconheço que perdoar João me beneficia e assim me sentirei mais confiante, em paz e alegre.

Passo 4:

Comprometa-se a perdoar. Simplesmente, declare a si mesmo quem é que você deseja perdoar e então reconheça os benefícios que o perdão trará para você. Geralmente, você terminará os Quatro Passos com algo parecido com isto:

Eu me comprometo a perdoar nome da pessoa e aceito a paz e a liberdade que o perdão traz.

No Passo Quatro você formalmente e especificamente declara sua intenção de perdoar.

Você pode não ter certeza de que você realmente quer perdoar. Você pode até ter um monte de dúvidas, mas apenas experimente e veja o resultado. O perdão é uma dessas coisas onde até mesmo um pouco de vontade de experimentar, de estar aberto a explorar as possibilidades – mesmo que muito timidamente – pode trazer grandes resultados.

FREQUÊNCIA DO EXERCÍCIO:

Você deve fazer por pelo menos 21 dias. Se após esse período você avaliar que ainda não limpou por completo seus sentimentos negativos, então continue por quantos dias mais forem necessários. É bom que você tenha um horário pra fazer, ajuda a criar uma rotina. Repita 3 vezes consecutivas os 4 passos mostrados acima pelo menos uma vez ao dia. Se quiser fazer mais tudo bem. (Essa rodada de 3 vezes os 4 passos  leva menos de 5 minutos, nada de preguiça em)

É provável que seus sentimentos irão se alterando conforme praticar, então o que era raiva pode virar frustração. E nesse caso você pode alterar sua declaração, substituindo essa palavra

Se você puder, faça essas declarações em voz alta. Somente na impossibilidade de declarar em voz alta você poderá fazer mentalmente. Pronunciar em voz alta é mais poderoso.

Depois de um tempo você pode sentir que não é mais necessário fazer todos os quatro passos.

Como parte de livrar-se de velhos sentimentos, você pode precisar fazer outros tipos de libertação emocional tais como: falar sobre as coisas com um amigo ou até mesmo ver um terapeuta. Ao fazer isto, você pode encontrar sentimentos inesperados e lembranças há muito tempo esquecidas poderão surgir. Basta deixá-los passar ou encontre apoio se necessário.

Se você acredita em um poder espiritual mais elevado, é natural que você queira que ele faça parte de seu processo de Perdão. Simplesmente adicione uma frase no final, como: “Peço a ajuda de Deus para perdoar e me tornar livre”

Você poderá repetir o passo quatro mentalmente ou em voz alta a hora que desejar e quantas vezes quiser durante o dia.

5.3 – HO’OPONOPONO

E finalmente deixo uma última dica para quem deseja ir além, pesquisar sobre o Ho’oponopono. É uma oração de perdão que possui seu mantra “Eu sinto muito, me perdoe, eu te amo, sou grato”. Tem bastante coisa sobre Ho’oponopono em diversas mídias, eu acho super válido pra quem desejar uma terceira opção.


Você gostou desse artigo?

Para  receber atualizações do blog, inscreva-se abaixo:

Conteúdos para despertar a consciência.

Antes de fazermos uma conclusão desse assunto, deixa eu mostrar o vídeo que gravei sobre o PERDÃO:

Inscreva-se:


CONCLUSÃO:

Perdoar é uma prática fundamental se desejamos nos elevar acima dos problemas que nos aflige. Se desejamos nos elevar como ser humano e sermos melhores do que fomos ontem, então devemos estar conscientes e usarmos o poder do perdão.

A oração mais conhecida, pelo menos no Brasil é do PAI NOSSO que diz: “perdoai nossas ofensas assim como perdoamos a quem nos tem ofendido”. Ou seja, todos nós reconhecemos que somos imperfeitos. E dessa forma, vez ou outra magoamos e erramos com nossos amigos, familiares etc. E o que podemos concluir é que todos nós precisamos de perdão. Mas o perdão que receberemos é proporcional a nossa capacidade de perdoar.

Os maiores mestres e avatares que a terra já conheceu, são antes de mais nada mestres em perdoar.

Jesus perdoou até aqueles que colocaram ele na cruz.

Um passo de cada vez, se desejarmos hoje, podemos ser melhores do que ontem.

Outra prática que anda de mão dada  com o perdão é a GRATIDÃO não deixe de conferir também.

Gratidão e muita luz em seu caminho.

Com AMOR Paula.

8 Comentários


  1. O perdão é o primeiro passo do Cristão para salvação, cura e libertação.

    Responder

  2. E quando a pessoa não lembra como se sentiu na época? Mas hoje sendo adulta e entendendo as coisas, pode usar o sentimento do presente no lugar do sentimento do passado? Ou pode ser usado o sentimento da adolescência, de quando começou a entender?
    Grata pela atenção

    Responder

    1. Oi Mei … a pessoa pode resignificar de acordo com a sua consciência atual, imprimindo/ gravando novos sentimentos em cima daqueles registrados pela memória do passado.
      Eu que agradeço sua participação aqui 🙏

      Responder

  3. Boa noite!

    Paula, amei seu site, gratidão.

    Vou te procurar no insta.
    Beijo!!!

    Responder

  4. Paula, adorei seu site
    Posso utilizar as técnicas do perdão para auto perdão?

    Obrigada!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *